Páginas

Metas para 2018 e a tal de felicidade.

09 janeiro 2018
Every day is a fresh start.
Eu já me convenci de que não dava certo com metas, mas então eu aprendi que elas não são o meu objetivo, mas sim uma prévia dos caminhos que eu quero começar (ou continuar) a trilhar. Elas funcionam como uma perspectiva, que podem ser alteradas a qualquer instante, e que dificilmente serão esquecidas (dessa forma, pelo menos).

Então, apresento as minhas metas:

Levar uma vida mais saudável:
Isso inclui voltar ao exercício (academia e caminhada) e mudanças na minha alimentação (mudei alguns hábitos em 2017, mas não é nem o começo).
E quem sabe, começar natação e perder o medo da água!

Fazer terapia:
Eu sei que preciso! Há anos venho protelando, e isso quase não deu certo em 2017. E agora, formada em Psicologia, nada mais justo, não?

Continuar estudando:
Sim, não vou abandonar as salas de aula.
Esse ano vou me inscrever em uma outra graduação, que é uma preparação para o meu futuro (e meus grandes sonhos, que um dia trarei um texto explicando).
Isso significa que eu continuarei fazendo cursos externos. Achei um de "Jornalismo" em uma faculdade conceituada, e cogito fazê-lo.
Continuarei no coreano, mesmo com a primeira bomba que levei no semestre passado.

Cuidar mais de mim (e dos outros):
Não ser tão desleixada comigo. O tempo é curto, mas não pode me controlar dessa forma... Vou fazer mais com menos (em questão de tempo, de dinheiro... Tudo!).
Dar mais atenção ás minhas prioridades.
Atentar a minha saúde e a dos meus familiares.
Ser mais autoconfiante.

Treinar minhas habilidades (ou a falta delas):
Com calma, sem pressão! Pois eu quero aproveitar cada momento desses.
Isso diz respeito ao violão, ao piano, ao inglês, ao coreano, ao ser beta e escritora...
Pretendo trabalhar a minha não-habilidade em design!
E em menor escala, perder o medo de cantar em casa. Pois não é como se eu fosse um fracasso cantando, eu só não sou muito boa, mas me deixa feliz, então vamos!

Trabalhar meu receio de falar em público:
No meu TCC eu vi um outro lado meu, um lado que não se conteve em falar em público e apresentou um trabalho que valeria a minha graduação. E não é que deu certo?
Então acho que eu devo dizer o que tenho a dizer pro mundo. E se para isso eu preciso passar por alguns cursos de oratória, eu faria! Tenho dois em vista, vou verificar o investimento e pretendo fazer nesse primeiro semestre, pois vai me ajudar muito!

Viajar mais!
Viajar é amplo, mas digo, eu quero conhecer melhor São Paulo, quero viajar pro interior. E meu maior sonho para esse ano é um intercâmbio em Seul, e eu estou trabalhando meus pais para isso, pois eles não querem que eu vá.
Tenho ai projetos de três viagens maiores, ainda esse ano, mas veremos se dá certo.

Investir melhor!
Eu não pretendo trabalhar esse ano (mas tenho em vista algumas oportunidades, e se rolar, eu vou!), mas temos os bicos que faço, e o pouco que eu ganhar, preciso investir para render.
Pois não posso depender sempre dos meus pais e da minha madrinha.

Ser mais organizada/minimalista:
Eu acredito que seja algo possível, basta eu me dedicar. Pois (como aprendi com a 선생님 ), quem quer faz! E eu não fiz muta coisa esses últimos anos. Perdi muitas oportunidades, pois não tinha espaço nem para aproveitá-las, nem para percebê-las.

Ser voluntária!
Não sei bem como, onde, quando. Mas eu quero!
Penso bastante em orfanato, em trabalhos manuais... Mas sem pressão ou rotina inflexível, pois eu quero estar bem para ajudar os outros.

Quero me tornar uma pessoa melhor. 
Com mais propriedade de mim mesma!
Quero me tornar a melhor versão de mim!

Mas me digam vocês, quais são as metas e prioridades para 2018?
Estão confiantes de que farão o melhor por vocês mesmos?
Espero que a gente plante e colha bons frutos esse ano, e que seja surpreendente. Pois muito melhor do que criar metas e estabelecer prioridades é se surpreender sendo feliz com o inesperado.


Nenhum comentário

Postar um comentário

 
Desenvolvido por Michelly Melo.