Páginas

Doando memórias, me fazendo bem!

13 fevereiro 2016

Os frágeis usam a força; os fortes, a inteligência. — Augusto Cury

Hoje eu estava ajudando minha mãe na faxina; e como nossa casa está uma verdadeira desordem -mal se andava pela sala, de tanta coisa nova para lavar, móvel para por no quarto, malas grandes...- resolvemos mudar alguns moveis de lugar e já ir procurando o que poderíamos doar.

Dá trabalho? Dá muito trabalho e tem valores emocionais envolvidos também. Porque você constrói histórias com as coisas, e essas fazem parte das suas lembranças; embora doar seja maravilhoso e muito útil também (otimização de espaço, ajuda ao próximo, compartilhamento...), se desapegar dos seus bens materiais nem sempre é tarefa fácil. Você acha, olha, relembra, se emociona... E ai fica mais difícil de deixar ir no caminhão de doações...

Mas pensa bem: a gente deixa tanta coisa nova chegar, anseia por elas, planeja; não faz sentido ficar se agarrando as todas as coisas do nosso passado, que não usamos mais, e pior, nem lembrávamos que existia até reencontrar acidentalmente num canto escondido do armá´rio gigantesco. Não é como se suas lembranças fossem ser deletadas, ou que você nunca fosse achar algo igual ou parecido com aquilo... Tudo continua igual, só o que é físico se vai; vai para bens maiores, pessoas diferentes; você possibilita um contato entre coisas e terceiros, que viabilizam memórias e desenvolvimentos. Se não tem uso, não retenha desnecessariamente. Mas se realmente for muito importante, guarde, e cuide bem! Perceba e entenda suas prioridades; se der, questione-as incansavelmente, pois se forem reais, tendem a se reafirmar constantemente.

Eu arrumei desde roupa de cama, até materiais escolares do fundamental e médio; e fui analisando coisa por coisa, pensando em se poderia mesmo abrir mão dela ali comigo. Para a minha surpresa eu pude abrir mão de mais coisas do que imaginava ser capaz... Decidi doar a um sebo todos os meus livros escolares até o Ensino Médio, ou que eu não fiquei satisfeita em ler; pois será útil a alguém, mas não mais para mim. E também percebi que fazendo isso eu vou abrindo espaços na minha casa, reorganizando as coisas; otimizando o nosso ambiente, deixando ele mais acolhedor.

Foi reconfortante saber que eu não me sentirei nenhum pouco mal em doar os livros, mesmo os cheios de equações que levei meses para terminar... Não importa, pois eu ainda me lembro de tudo o que vivi com esses livros; e isso me basta. Nada mudou dentro de mim. Nada a esse respeito; pois me vi amadurecendo, e tomando consciência de quem sou, das coisas que me constituem, das minhas prioridades.

Mudar é algo muito importante, e que faz com que a gente se redescubra de maneiras irreverentes. Faz um bem danado, a gente devia tentar, pelo menos uma vez por semana, algo que seja encarado como mudança; seriamos menos infelizes e tediosos, não acham? Mas nos falta coragem, vontade, jeito e disposição. O que se há de fazer? Vai mudando como dá, conforme no for possibilitada essas transformações.

12 comentários

  1. Eu sou meio apegado as minhas coisas, às vezes é difícil pra mim doar algo, mas sempre coloco em mente que aquilo pode servir para outra pessoa, talvez até mais que para mim. Aí acabo doando. Muito legal seu blog. Parabéns.

    www.quaseperfeito.com

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá moço, tudo bom com a sua pessoa? Espero que sim...
      Acho que quando pensamos no Outro, é que nós tomamos coragem de tentar nos doarmos um pouco, pois sabemos que isso será bom para alguém, mesmo que esse alguém não seja a gente!
      Muito obrigada por sua visita, seja bem vindo! E fico imensamente feliz que você tenha gostado daqui *-*

      Excluir
  2. Mudar É BOM DEMAIS. Dá medo as vezes? Dá, mas temos que deixar isso de lado as vezes. Eu tive a coragem de sair do trabalho e estou MUITO feliz!!

    Beijos, Love is Colorful

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Sério? Ai que bom que você esta feliz, valeu a pena!
      Eu praticamente fiz isso, não sai do trabalho, mas o deixei ir sem me agarrar, fez um bem danado para mim, minha saúde melhorou muito, tive mais tempo para pensar no que eu faria,mesmo que diariamente... Meu humor mudou MUITO!
      Beijos Bárbara *-* É um honra ter sua visita!

      Excluir
  3. Que texto maravilhoso <3 Recentemente fiz a mesma coisa com meu quarto. Me desapeguei de coisas que nunca imaginava ter longe de mim, mas no final me fez muito bem. Quando fazemos isso parece que a gente sente que novas coisas estão para chegar, e acho que apesar de dar adeus a algumas coisas, essa sensação é maravilhosa! Beijos!

    http://apaixonadaporfinaisfelizes.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá moça, como estás? Bem? Espero que sim!
      Acho que na verdade, em boa parte do tempo a gente não faz a mínima noção de tudo o que temos, e quando descobrimos queremos nos agarrar a elas, como se isso fosse mudar alguma coisa...
      Acho que sentimos isso de "coisas novas chegando" porque liberamos espaços, e uma hora ou hora, aquele espaço será ocupado, a gente percebendo, ou não, certo?
      Parece que a gente cresce conforme abre mão de coisas que nos foram importantes... Não é uma perda na verdade, mas um ganho!
      Beijos!

      Excluir
  4. Me desapego fácil de roupas e sapatos, mas livros não tenho coragem não, sou muito apegada (com exceção de livros de escola). Achei seu texto maravilhoso.

    Beijos
    http://orangelily.com.br/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá Lilian *-*
      Nossa, livros são minha maior dificuldade. Eu sofri um bocado esse mês para me desapegar de 70 livros, meu coração ficou apertadinho; mas eu coloquei em mente, que do mesmo modo que eles me ajudarão, agora eles precisam ir ajudar outras pessoas, de alguma forma!
      Sempre tive vontade de fazer algo como revessamento de livros, ou biblioteca circular, entre amigos sabe? Assim mesmo tendo 1 livro só em casa, eu seria capaz de ler 10, se 10 pessoas estivessem nesse projeto comigo. Partilhar livros, sem necessariamente precisar se livrar deles, e eles também não iriam ficar por muito tempo ocupando espaço físico em casa... Mas ainda preciso amadurecer essa ideia ai haha
      Obrigada, isso é tremendo incentivo!

      Excluir
  5. Adorei o texto!!!! Tem coisa melhor que mudanças? Acredito que devemos sempre enxergar o lado bom das coisas, apesar de ser bem difícil na maioria das vezes. Beijos, Fê

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá Fê, tudo bom?
      Fico feliz que tenha gostado do post! Sério, isso e muito importante para mim *-*
      Amo mudanças, mesmo tendo uns medinhos bobos e uma louca Sr. Ansiedade...
      Acredito que quanto mais difícil, maior a possibilidade de eu ser feliz quando passar por isso, pois eu tive que enfrentar algo, um parte de mim que é mais apegada, e passar de fato por isso, é como superar obstáculos, pouco a pouco, sem pressa...
      Beijinhos moça bonita!

      Excluir
  6. Eu amo fazer limpeza no meu quarto por que sempre acho alguma coisa pra doar, e quando faço isso normalmente dou as pessoas que trabalham em caminhões de lixo sabe? Por que são as que eu mais vejo, e acho gratificante o sorriso delas ao ganhar pelo menos uma muda de roupa. Isso muda o dia de alguém e com certeza muda o nosso também! Parabéns <3
    Uma Tubaronense

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá guria! Tudo bem por ai?
      Eu tento, o máximo possível, fazer uma grande limpeza e organização em casa,a cada 6 meses, não ultrapassando 1 ano; para não ficar acumulando coisas desnecessárias, sabe?
      Sinto-me mais feliz, e capaz, quando dou as coisas que podem fazer alguém feliz, como eu fui com cada peça.
      Parabéns para nós! Que a gente continue fazendo o bem, mesmo com coisas simples como essas, pois elas podem mudar a vida, ou pelo menos o dia de alguém!

      Excluir

 
Desenvolvido por Michelly Melo.