Páginas

Estrada Certa

26 agosto 2015
"É proibido sofrer. Não vale a pena a viagem. É muito cara a passagem." — Leoni

Não sei se vocês já tiveram a sensação de que pegaram o caminho certo; como se fosse a primeira vez a fazer isso, ainda por cima; mas é uma sensação incrível e intensa, que traz com ela emoções muito gostosas de serem vivenciadas É uma espécie de auto-realização que não está descrita nos dicionários por ai. É como se as coisas, que antes eram muito difíceis, problemas matemáticos daqueles sem solução conhecida; começassem a fazer sentido, e fossem calmamente - quase que dançando ao ritmo da sua música favorita - se encaixando, e mostrando caminhos totalmente novos e desconhecidos.
De um ano e meio pra cá - mas especialmente esse ano- as coisas andam tendo um toque de mágica e de encanto tão forte para mim, que estou sendo conduzida por trilhas maravilhosas, cheia de coisas diferentes e desafiadoras, pessoas cativantes e que agregam, momentos de intensa empatia e emoção, além dos desafios e frustrações que evocam meu lado mais frágil e pouco trabalhado, meus medos, frustrações... É como se só agora eu tivesse me dado conta que estou aprendendo a viver, e não é nem de hoje. Mais incrível ainda é que o que deveria ser tremendamente assustador e inibidor, está me encorajando, e não tira a beleza desses caminhos. Como se o mundo estivesse virando do avesso e se remendando todo constantemente e eu estivesse acompanhando ao meu próprio passo, seguindo o meu ritmo, sem perder a chance de apreciar.
Tudo vem ganhando significado, ou modificando o que tinha. É tudo novo, mas ainda são os mesmos lugares, as mesmas pessoas e  tudo que é familiar está presente. Não assusta tanto quanto se imagina, mais acolhe do que afugenta. Novos caminhos não podem ser tão intimidadores a ponto de nos deixarem na largada com os pés fincados no chão; caso contrário não seria novos caminhos...
Estou agora, definitivamente, em constante mudança, me reconstruindo constantemente, a cada dia que passa é um traço a mais, uma vontade que nasce e outro desejo que se modifica. 
Ouvi um grande filósofo um dia discursando, e ele me disse algo que nunca mais saiu da minha mente: Tesão pela vida. Ai está algo que define muito bem o que é essa vontade de viver, seja na rotina ou não, cada pequeno dia; não só como se fosse o último, mas também como se fosse o único.
O trabalho, os amigos, os cursos, as relações; parece que tudo está contribuindo para que esses caminhos se abram e se mostrem para mim, cada um mais atrativo e convidativo do que o outro.
Por mais que as coisas se compliquem, ou fiquem um tanto quanto tensas e difíceis, eu ainda não consigo nem cogitar a ideia de arrependimento. Tem muita coisa boa acontecendo simultaneamente para eu me apegar somente as dificuldades ou tristezas. Não sou mais uma criança para pensar que a vida é uma alegria ou infelicidade contínua e duradoura. Vivemos de oscilações, e aproveitamos os picos, com o melhor que a gente tem.

Nenhum comentário

Postar um comentário

 
Desenvolvido por Michelly Melo.