Páginas

Aquela noiva que toda sogra quer!

04 janeiro 2016


Existem coisas piores que estar sozinho, mas geralmente leva décadas para entender isso e quase sempre quando você entende é tarde demais. E não há nada pior que tarde demais. — Charles Bukowski.

Terminei esse dorama um dia depois do Natal, mas não tive tempo de vir fazer a resenha.
Para quem gosta de comédia, como eu, vai se apaixonar por essa família. The Virtual Bride, que com apenas 12 episódios, nos faz ter uma boa experiência com sogra.

A história é sobre In Young, uma cantora decadente que se vê obrigada a participar de um programa televisivo sendo nora da sogra do seu chefe; até ai tudo seria bem profissional; se sua carreira - e de todas as integrantes de sua banda- não dependesse completamente do sucesso desse show, e se a sogra não fosse tão tradicional e rígida.

In Young entra na família achando que vai tirar de letra, quando na verdade a rotina ali é surreal. A nora oficial Se Mi, já pertencente á família, quer fugir para sua profissão, pois não se sente bem com os trabalhos doméstico, o que a faz bater sempre de frente com a sogra, sem contar que a mesma vive recebendo diretas sobre ter engravidado antes de casar; então já percebemos o quanto essa sogra aterroriza as coitadas. Não que ela seja má, muito pelo contrário, Yang Choon Ja tem um bom coração, mas quando assume o papel de sogra... Esquece seu lado bondoso e vira um sogra de carteirinha, querendo o melhor para os 3 filhos: Cha Myung Suk, Yong Ah e o atrapalhado Cha Dong Seok.
Tudo se complica ainda mais quando In Young conquista -a família como um todo- o matemático e introvertido Cha Myung Suk, que por ser o primogênito, é tratado com todos os mimos pela mãe.
 A história se torna tão louca, que In Young transforma Cha Myung em um cara romântico e adepto ao casamento. Se Mi larga até o marido e o filho pelo seu sonho de trabalhar. Tem roubo de receitas da família; ameaça divórcio pelo lado da única filha de Choon Ja, desvio de dinheiro público, ex-marido que volta arrependido...




E não posso esquecer de mencionar a relação perturbada de mãe e filho entre Mi Hee e Joon Soo. Ela o trata como se fosse a única mulher que ele ama, e ele -idiota como é- faz todos os gostos da mãe para tentar compensá-la por ter sido largada por seu pai. Joon Soo é capaz de largar a esposa, pela mãe. E a mãe não mede esforços e chantagens para colocar a pobre Yong Ah para escanteio e em problemas. Essa sim é uma sogra megera!



Nesse dorama aprendemos um pouco sobre como uma família grande tem seus altos e baixos; tem sempre aquele que não faz nada e/ou é sonhado demais e sempre se ferra; aquele que é tão brilhante, que carrega o futuro da família nas costas; mostra como é difícil ser funcionária publica; o quanto um casamento é delicado e frágil... E também que o amor não tem idade, pois o patriarca da casa, o sogro de Choon Ja, vai contra tudo e todos para namorar sua amada e levá-la para casa.

Vocês acham que Choon Ja gostou da ideia? Um sogra para ela, quando ela já era sogra de uma e meia? Pois ela nunca aceitava In Young como esposa do filho, admitiu amá-la como própria filha, mas sempre foi contra qualquer relacionamento amoroso entre o casal.
E a pobre In Young que se apegou a toda a família, voltou a ter sua popularidade reacendida, e é órfã, se vê perdida entre o amor de sua vida, e a família e popularidade que sempre desejou.

O relacionamento entre ela e o professor já começa engraçado - envolvendo puns, carros, coincidências... E depois tem várias cenas onde eles se confundem tentando esconder o que sentem deles mesmo; como se já não fosse o bastante esconder o relacionamento nada profissional dos olhos da sogra, que tudo vê e tudo sabe naquela casa... In Young quando tem seus acessos de sensualidade e os de infantilidade dela, arranca nossos risos e causa maiores confusões ainda; como quando ela apaga a fórmula a qual Cha Myung Suk demorou meses para chegar, ou quando ela quer destruir um encontro...
Sem contar o grande ensinamento que ela dá sobre bebidas... É bem terapêutico, eu diria haha Segundo ela, após beber, a lata serve de reservatório de tudo o que ela não gosta ou quer se livrar/esquecer, então ela sopra pra dentro da lata o que a incomoda e depois amassa a lata para que aquilo desapareça. Inteligente, não?




Agora vamos falar um pouco do elenco, que embora seja menor do que os das outras novelas que costumo ver, foi fantástico, e deu um toque a mais de realidade na trama Sem contar com grandes nomes como Kim Da Som - integrante do grupo Sistar- e os fabulosos: Kwak Hee Sung (cantor que faz muito sucesso) e o quase quarentão Ryu Soo Young  *-*

Ah! E não poderia me esquecer do pequeno San, que foi um personagem mais apagadinho, que sofria pelos pais nunca estarem em harmonia, e que causa um episódio de preocupação a todos da família, incluindo a In Young, que se importa com ele como uma verdadeira tia.

Sobre a ost: me agradou bastante! É bem fofinha, a cara da charmosa In Young... Vou deixar aqui as que mais gostei, e que se prestarem atenção, o matemático explica seu amor por meio da fórmula de Euler:

E não posso esquecer, como a comédia envolve um matemático, da fórmula de Euler que ele dedica a In Young. Ok, confesso que achei muito lindo isso, e toda a explicação até fez meu coração vibrar um pouco. Ele sabe ser romântico com todo o conhecimento que tem, assim até eu me apaixonaria por matemática. E ele me fez relembrar essa fórmula, que eu nem lembrava mais... Eu não achei o vídeo com a explicação da fórmula ser relacionada a In Young, mas se vocês assistirem, vão entender.


Essa foi a minha Resenha para The Virtual Bride, sei que ainda estou fraquinha, mas estou melhorando... Sem Spoliers, nem nada! Espero que gostem, e se já assistiram, comenta aqui o que achou.

Título: The Virtual Bride/ The Eccentric Daughter-in-law
Gênero: Comédia, Romance
Episódios: 12
Emissora: KBS
Exibição: 17 de Agosto de 2015 / 22 de Setembro de 2015
Dias de exibição: -
Classificação:  



Nenhum comentário

Postar um comentário

 
Desenvolvido por Michelly Melo.