Páginas

A Senhorita que vem visitar repentinamente...

09 junho 2016
E quantas vezes você escreveu para não enlouquecer ?
E hoje bateu saudade. Aquela saudade que aperta o peito de tão gostosa que é de sentir. Daquelas que não se fingi, nem se faz de tímida; que se faz presente no meio do atordoado dia, e te faz paralisar na calçada, em meio a uma multidão; como se eles fossem ao menos capazes de saber de quem é essa saudade que veio voando, sabe-se lá de onde, e pousou no seu peito, para fazer ninho em suas lembrança e brotar em seus olhos.

Então você sacode a cabeça, olha pro céu, como quem pede por uma explicação, e segue em frente. Continua o dia, ri, se preocupa e planeja. A noite, á em casa, toma um banho para relaxar, e a mente volta a maquinar; e como que avisada de sua solidão humana a senhorita coloca-se a dançar pelo quarto onde você arruma suas roupas e coisas do trabalho. Essa senhorita é muito atrevida, como ousa atormentar-te em pleno dia?

Ela não liga, te mira, ri e faz meiguice. Vai se aproximando com maior intensidade, até que o peito aperta de vez, e as lembranças te dominam. Aqueles dias que compartilharam não vão embora só porque suas rotina exige. Não há tempo no universo, capaz de arrancar-lhe as memórias daquelas sensações. É como se pudesse vivenciar tudo novamente, ali, sozinha. A garganta trava, e a respiração se torna mais audível. O coração corresponde ao que os olhos dele veem. É a vez dele viver o dia, mas o dia de ontem. Nada do que passou nesses últimos meses tem mais valor do que aqueles dias. Bendito dias!

Seus joelhos enfraquecem e pedem suporte; a cama lhe cede de bom grado, e novos mistos de recortes daquela vida te provocam. Os olhos se rendem e fecham para explodir em saudade. Essa que lhe sorri saudosa, que pede que volte; mas você ainda resiste, se faz de madura, e inventa qualquer desculpa para recobrar o domínio de seu corpo.

A Saudade se entristece mais ainda, e congela momentaneamente ao ver sua luta para esquecer; sente dó por ter que abater-te novamente em outra ocasião; pois no fundo sabe, que não aquela que tanto sofre não será capaz de esquecer, nem que queira ou se esforce muito...

2 comentários

  1. Belo texto! Parabéns!
    Saudades de você no blog.

    http://jj-jovemjornalista.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  2. A saudade é uma companhia bastante gostosa de vez em quando. É ela que fica depois que alguém toma um rumo diferente. É ela que nos invade por acaso em um dia qualquer. É ela que senta com a gente, vendo um filme bobo e chorando por motivo algum. É ela que guardamos no peito quando o vazio de alguém não pode ser preenchido. Texto incrível ♥

    ResponderExcluir

 
Desenvolvido por Michelly Melo.