Páginas

Resenha: Um Sinal de Esperança (1998)

09 julho 2016
Não complicar o que é fácil, e não fazer do que é difícil, algo impossível de se suportar...
No último sábado (02/07) tive a oportunidade de assistir esse magnífico filme, que trata de temas muito delicados, com doses de humor. Como gostei muito, vim dividir com vocês a minha impressão sobre esse filme. Mas antes, preciso informar sobre o que se trata, certo? 

Pesquisei um pouco e deixarei a sinopse desse filme aqui abaixo, assim como trailer e um link onde se pode assistir o filme, caso se interessem..

Na Polônia ocupada pelos nazistas, em plena Segunda Guerra Mundial, Jakob (Robin Williams), um comerciante empobrecido, traz esperança e humor num gueto judeu, ao reportar boletins fictícios sobre os passos das tropas da Aliança para derrotar o exército de Hitler. Mas quando os soldados alemães tomam conhecimento da fictícia rádio, eles partem em busca do suposto herói que vem mantendo acesa a chama da resistência.
Fonte: AdoroCinema




Esse filme tem um elenco maravilhoso, com grandes nomes do cinema, entre eles: 
o talentoso Robin Williams
Conseguem imaginar esse grandes homens atuam juntos? Ficou fantástico!

Assisti ele com minha mãe, enquanto eu atualizava umas coisas no meu Tumblr, então deixei passar algumas cenas; mas mesmo assim foi um filme muito interessante, pois eu parei por diversas vezes de fazer o que estava fazendo, só para assistir umas partes.
A história, como podem ter lido é sobre os judeus que foram mantidos presos durante a Segunda Guerra Mundial, um cenário caótico de guerra e desesperança; onde um boato de um rádio começa a ser espalhado, e como alvo o Jakob é tido como o detentor desse rádio.
Para eles um rádio era sinônimo de esperança, eles teriam informações do que acontecia fora daquele cativeiro; eles esperavam notícias de que as tropas amigas fossem os resgatar (se não me engano, os russos). Imagine você ter novamente esperança quando não se acredita em mais nada? Suicídios eram comuns diariamente, mas depois do boato, as pessoas ficaram mais confiantes e continuavam vivendo a espera de algo.
Jakob não tinha rádio, mas tinha vontade de ajudar as pessoas, então um amigo lhe disse que ele estava fazendo o melhor que qualquer um poderia ter feito naquela situação, estava dando esperança ás pessoas. As pessoas apanhavam para protegê-lo, para guiá-lo; acreditavam em dias melhores, acreditando nele.
O único problema é quando o rádio não existe, e as coisas não tinham muito como ter outros rumos. Tem muitas cenas fortes, algumas de tortura; mortes... É um filme de história, que nos ensina que ás vezes a ajuda é tão simples, é um ato de apoio ou de coragem. Morrer pelo que se acredita ser o melhor, é uma forma honesta de morrer, um tanto quanto heroica sim.
O final ficou um pouco duvidoso, pelo menos para mim... Sei que a História real é muito mais trágica e desumana. Mas em mim ainda tem um fiozinho de esperança de que no filme a esperança fosse retrata até o fim, e que se tornasse algo (mesmo que pequeno) lá no final... Quem assistir, irá entender do que estou falando. O que posso adiantar é que, eu entendi aquilo como um "sacrifício" em nome daquele povo. Eu acredito realmente que russos tocando gaita e russas muito bem vestidas apareceriam no meio do nada, concretizando tamanha esperança, de um coração juvenil que tinha uma vida toda pela frente...
Mas a frase "Eles foram levados para os campos de concentração, e nunca mais foram vistos vivos." entristece um pouco meu coração. Ainda bem que o segundo final, é bem mais interessante, não?
O final é muito impactante, então se você for muito sensível aguente firme, pois vale muito a pena...

Título: Um Sinal de Esperança
Gênero: Drama
Ano: 1998
Classificação:  


Nenhum comentário

Postar um comentário

 
Desenvolvido por Michelly Melo.