Páginas

Seja Humano! Seja Feliz!

27 março 2016
A vida é curta, vai ser feliz porra!
Toda vez que a gente passa a olhar muito um aspecto, esquecemos dos outros. Eles simplesmente desaparecem e  perdem a importância; esse é o perigo do equilíbrio saudável da vida. Mas ás vezes é a escapatória quando tudo vai de mal a pior. Quem nunca ouviu, ou viu, que em situações de coração partido, o melhor remédio é focar no trabalho? Tem um sentido meio "- Torne-se um workholic!"; mas faz bem a boa parte da população com problemas. Pois para sair de um situação incômoda a gente começa exagerando mesmo, para ir encontrando aos poucos o equilíbrio das coisas, e se recompondo.

Ninguém precisa depender completamente dos outros, depois da vita intrauterina e os primeiros anos de vida; mas está na nossa essência essa conexão. Aceita que dói menos: o humano não pode viver sozinho. E então ele vivencia o carinho, o amor, de formas diferentes, em diferentes níveis, mesmo que não perceba... Inclusive quando se pensa auto-suficiente, todo poderoso...

Quando se cansa de esperar do Outro, de encontrar no Outro o que sente que lhe falta, busca em si mesmo; e se descobre detentor de muitas formas amáveis, e odiáveis. Uma misteriosa fonte de capacidades, habilidades e poderes. Isso é como um motor se aquecendo novamente para outra tentativa de pegar a estrada principal.

Concordo plenamente que nossa felicidade não está no Outro; ás vezes, nem em nós mesmo... Pois pense só, se ela estivesse situada em algum "local" já teríamos descoberto, e tudo perderia a graça e o mistério. Mas há de se reconhecer que os Outros tem capacidades infinitas de somar; afinal, quase todos procuram pela Sra. Felicidade, não?

Felicidade, ao meu ver, está mais para um descobrir diariamente (assim como deveria ser com a gente, pois que chato ser a mesma pessoa por uma vida inteira...); ela muda de essência e de "local" constantemente, como em uma brincadeira de esconde-esconde. Por que ela estaria justamente onde sempre procuramos? Se tornaria muito fácil, se achássemos ela sempre. Precisamos conhecer as outras sensações e sentimentos, para podermos dar valor ás tudo isso.

É preciso descobrir e se dar valor enquanto se tenta conhecer, ou até dominar, o mundo. Seria impossível abraçar o mundo, se nem consegue ver a si próprio. Vivemos em momentos de descobertas que ficam sendo adiadas incansavelmente. Será o medo que nos atormenta inconscientemente? Será uma prisão, de cela aberta, que nos incomoda? O que te impede?
 

Nenhum comentário

Postar um comentário

 
Desenvolvido por Michelly Melo.