Páginas

Sobre reclamarem do caras atuais, e dos antigos...

15 junho 2016
Cuidado ao desejar um Príncipe Encantado. Lembre-se, ele foi criado para ser encantador, não sincero.
Bom, lendo um texto esses dias atrás, me veio a cabeça que se os homens fossem como antigamente, estariam reclamando deles da mesma forma; pode parecer estranho, mas eu aposto que já faziam isso (de reclamar o tempo todo) naquela época. Os homens segue os ritmos dos contextos, tanto quanto as mulheres.

Na verdade a mulher só é o que é, por sua relação com o homem, e ele também. Podemos não querer admitir ou olhar, mas eles são condicionados por nossos comportamentos também, e por vezes os fizemos se sentirem assim, que os comportamentos ficaram completamente distorcidos e desproporcionais, fora que perderam boa parte do sentido.

Há muitos garotos, e de TODOS os jeitos e estilos; mas na realidade, as meninas (até eu estou nesse rolo...) querem mesmo é que aquele cara em específico, a quem ela dirige olhares e afeto, seja como ela quer; quando na verdade nada nos garante dessa sorte, dessa combinação em potencial, do que queremos e achamos que precisamos, e o que os caras de verdade são.

Porque também tem essa; não é porque que ele aparenta ser um completo babaca e sem noção, pelos comportamentos e por fora, que ele realmente o é; muitos desses ainda tem capacidade de surpreender positivamente, e muito. O mesmo cara pode ser um completo imbecil com uma garota, e ser uma graça com a outra; e isso não é sinal de falsidade (não sempre...) é mais uma questão de "combinação" entre pessoas/perfis, o famoso "o santo bateu" também tem sua parcela de culpa... Do mesmo modo que o principezinho perfeito da sala, pode ser um homem das cavernas com a mãe e irmãs... Quem te garante? As pessoas são muitas versões de si mesmo.

Creio que é uma questão de paciência e vontade de realmente se relacionar e interagir. Não precisamos moldar ninguém; mas em nossos convívios, com nossos amigos, podemos sim espalhar o que é importante para nós, seja ser gentil, romântico, ou simplesmente alguém educado, que respeite qualquer outro ser humano... Compartilhar essas informações pode sim acender mudanças dentro das pessoas.

Da mesma forma que acho que o modo como a sociedade tem criado os meninos é muito prejudicial, principalmente a eles mesmo. Há sociedades que censuram tanto eles, que eles mal sabem como chorar, outros poderiam morrer sufocados de tanto que seguram os seus fardos...

Eu quero muito ter um filho, e fico pensando desde já em todas essas coisas que jamais irei ensinar a ele, ou demonstrar; pois acho ridículo. Meu filho terá o direito de ser quem quiser e será consciente disso (na medida do possível). Vou mostra-lhe que chorar não é vergonhoso, que não é preciso ser grosso para ser respeitável, que saber tratar alguém bem é uma das melhores virtudes que alguém pode ter, etc.

Eu como garota já julguei todos por meia dúzia de otários. Hoje, cursando Psicologia, meu mundo se ampliou; minha cabeça é completamente outra. Eu comecei a olhar ada indivíduo de forma única e mais compreensiva. Eu dou chance para que me mostrem quem são, e mesmo quando uma característica destoa, eu não censuro esse alguém, eu tento entender.

É muita hipocrisia da parte feminina colocar toda a culpa nos homens. São mulheres que os criam também, são mulheres que os amam ou desamam, que os cuidam ou os abandonam... Eles aprendem com a gente, e nós com eles. Não existe ninguém superior aqui. Desçam do salto, porque dai de cima você só vão arranjar tombo!

Essa é uma PARTE da minha opinião atualmente sobre esse assunto. Provavelmente metade do mundo pensa contrariamente a isso, mas ok. O que você pensa sobre? Pode expor sua opinião aqui, fique a vontade; eu até gosto de ouvir o que os outros tem a dizer!

Nenhum comentário

Postar um comentário

 
Desenvolvido por Michelly Melo.