Páginas

"Temos mais razões para sermos decentes, seja por escolha, seja por constrangimento." (Cortella)

17 junho 2016
Então, se houvesse mais afetos e mais preocupação, digamos, em não desonrar pessoas que nos querem bem, provavelmente teríamos relações melhores e uma sociedade melhor. Clóvis de Barros Filhos (p. 11)
Não sei se já comentei aqui, mas eu tenho uma meta de leitura para esse ano e estou tentando muito bater, sei que 10 livros podem parecer nada para quem costuma ler sempre, mas para mim é muito. Estipulei um número de 10 livros, pois acredito que eu vá bater essa meta até setembro; então eu poderia tentar chegar aos 15 e no ano que vem eu estipular uns 20. Não quero dar o passo maior do que a perna.

Um dos livros que eu queria muito ler desde do ano passado é esse que vim resenhar: Ética e Vergonha na Cara! Esse livro foi escrito por dois filósofos por quem morro de amores, o Cortella e o Clóvis ♥♥ Mas é muito mais do que isso, é um tema bem legal (ética) e perfeito para esse período conturbado que o nosso país vem enfrentando, e que vai continuar, por muitos anos.

Depois de ler esse livro eu não sinto tanta raiva ou desespero, eu até que me enchi de esperança, eu consegui estipular relação entre o modo de vida do Brasil, da Coréia e do que é relatado no diálogo deles. Tudo parece fazer sentido, e o que antes era desespero, se transforma em entendimento. Mas isso sobre nosso país é papo para outro post; hoje tentarei focar somente no livro, que é maravilhoso, recomendo muito.

Li o livro em menos de 2 semanas (demorei, eu sei), ele é bem curtinho 104 páginas, a edição está maravilhosa e bem agradável á leitura. O tema principal desse livro é sobre ética, e portanto sobre corrupção. Cortella e Clóvis nos fazem refletir sobre os nosso próprios valores, princípios, antes de julgar o que está acontecendo no mundo. A corrupção não é exclusivamente política, e isso eu já sabia, mas não tinha a ilustração tão bem feita quanto tenho agora depois de ler isso. Mais uma vez a família é a raiz do problema, e a educação a cúmplice.

Família e  educação, mais dois temas que são discorridos no livro. Eles questionam a sociedade e a exaltam. Citam exemplos de conduta e filosofia, como na Suécia e Suíça. Eles dizem de forma bem tranquila, que na verdade não estamos regredindo, é como se finalmente estivéssemos acordando, se nos agitamos, é porque algo incomodou, logo percebemos algo, e algo terá que ser feito. Como? Para quem ou por quem? Não sabemos, há casos e caso, mas só o fato de estarmos desconfortáveis com essas situações, já revela o quanto estamos mais perceptíveis as coisas negativas que acontecem em nossas vidas, e com isso fica mais fácil questionarmos nossas próprias ações, para darmos exemplos do que queremos. 

O livro aborda também a ética do bem-querer ser bem-querido, que eu achei fantástica! Não falarei nada sobre, para não estragar o prazer de quem ainda não leu esse liro incrível, ok?
Bom a resenha de hoje vai ser bem curtinha mesmo, só para indicar esse livro e falar um pouco dos temas abordados no texto, e exemplificados, além de serem relacionados a todo momento com a nossa realidade e com os grandes pensadores de nossa história; eles fazem links incríveis. Grandes caras, não é atoa que eu amo ouvi-los falar, seja sobre o que for, sempre tem muita sabedoria (não é a palavra certa para usar, eu sei) nas palavras deles.


Título: Ética e Vergonha na Cara!
Autor: Cortella e Clóvis de Barros Filho
Páginas: 112
Editora: Papirus 7 mares
Ano: 2014
Classificação:



Nenhum comentário

Postar um comentário

 
Desenvolvido por Michelly Melo.